4. Ferramentas de transformação

Figura 14.111. Uma visão-geral sobre as ferramentas de transformação

Uma visão-geral sobre as ferramentas de transformação

4.1. Funcionalidades em comum

Dentro do menu de ferramentas de Transformação, você encontrará oito ferramentas para modificar a apresentação da imagem ou de um elemento da imagem, seleção, camada ou vetor. Cada ferramenta de transformação tem um diálogo de opções e um diálogo de informação para configurar os parâmetros.

4.1.1. Opções de ferramenta

Algumas opções são compartilhadas por várias das ferramentas de transformação. Nós as descreveremos aqui. Opções mais específicas serão descritas por cada ferramenta.

Transformar

O GIMP oferece três botões que deixam você selecionar em qual elemento a ferramenta de transformação vai atuar.

[Nota] Nota

Lembre-se de que as opções de cada ferramenta de transformação continua atuando quando você troca para outra ferramenta.

  • Quando você ativa o primeiro botão na seleção de o que transformar - a ferramenta vai operar na camada ou objeto de desenho (máscara, canal, ...) ativo. Se não existir nenhuma seleção, toda a camada será transformada.

  • Quando você ativa o segundo botão, , a ferramenta vai afetar a própria seleção: o seu contorno será transformado. (na verdade, o canal interno do GIMP que contém a seleção).

  • Quando você ativa o terceiro botão, , a ferramenta irá afetar somente o Vetor ativo.

Direção

Esta opção configura a direção em que a transformação atuará

O modo Normal (Para frente) transformará a imagem ou seleção como você espera que aconteça: você usa as alças de manipulação para realizar a transformação desejada. A imagem ou camada será transformada para a posição em que você coloca a pré-visualização ou a grade (se você usar uma grade, veja abaixo).

O modo Corretivo (Para trás) inverte a direção. Quando não existia a pré-visualização da imagem para transformações, era usado principalmente com a transformação de rotação para permitir nivelar objetos inclinados em fotografias: sem a pré-visualização ativada, você alinha a grade com o objeto inclinado e usa a transformação reversa. Isso ainda pode ser útil em alguns casos. Com a pré-visualização, o modo Corretivo continua sendo a melhor forma, por exemplo, de normalizar uma área que está num plano inclinado numa foto (como uma capa de livro, uma pintura numa parede, etc...) de forma que ele se torne o assunto principal de uma imagem: Na transformação de perspectiva mova as quatro alças para os cantos do objeto em questão, e use o modo Corretivo. Veja Seção 4.5, “Rotacionar” e Seção 4.8, “Perspectiva”

With GIMP-2.10.10, you can link these two options in Rotate, Scale, Perspective, Unified transform and Handle transform tools. This allows moving handles without affecting the transformation, letting you manually readjust their position.

Interpolação

Esta lista flutuante permite que você escolha o método, e, portanto, a qualidade da transformação:

Nenhum

A cor de cada pixel é copiada diretamente do pixel vizinho mais próximo na imagem original. Isso normalmente resulta em imagens serrilhadas (o efeito de escadinha) é uma imagem pobre. É o método mais rápido, embora nos computadores atuais isso não faça tanta diferença. É mais útil para se obter efeitos especiais, ao se aumentar o tamanho de imagens para a obtenção de uma imagem pixelada retrô, e para fins de computação gráfica quando outros métodos tem que ser comparados com esse. Em alguns lugares é chamada de Vizinho mais próximo.

Linear

A cor de cada pixel é computada levando-se em conta os quatro pixels mais próximos na imagem original. Isso gera um resultado satisfatório e é uma boa relação entre velocidade e qualidade. Algumas vezes este método é chamado de Bilinear.

Cúbica

A cor de cada pixel é computada levando-se em conta os oito pixels mais próximos na imagem original. Em geral dá um bom resultado, mas naturalmente leva mais tempo. Algumas vezes é chamada de Bicúbica.

LoHalo, NoHalo

Halo is an artifact that can be created by interpolation. It remembers the halo you can get when using Seção 4.8, “Sharpen (Unsharp Mask)”. Here is a note from Nicolas Robidoux, the creator of the new quality samplers for GEGL and GIMP:


                  "If haloing is not an issue with your content and use case, 
                  which of the two should you try first? 
                  (Clearly, if you want to minimize haloing, NoHalo is the 
                  ticket.)

                  If you are reducing an image, LoHalo is generally better.

                  If your transformation is not an all around reduction, for 
                  example if you enlarge, rotate or apply a perspective 
                  transformation that keeps portions of the image at the same or 
                  higher resolution, I generally prefer NoHalo. This preference, 
                  however, changes depending on the image content. If, for 
                  example, the image contains text or text-like objects or has 
                  significant areas with only a handful of different colours, 
                  like old school pixel art, I’d switch to LoHalo. Likewise if  
                  the image is quite noisy or marred by compression artifacts 
                  (as are most JPEGs found on the web). Conversely, if the 
                  image is noise free, very slightly blurry (meaning that when 
                  pixel peeking, the lines and interfaces are smeared over two 
                  or more pixels), and there are delicate skin tones to be    
                  preserved, I’d try NoHalo first. Actually, if I find that 
                  colours have not been preserved nicely after transforming an 
                  image with LoHalo, I’d immediately switch to NoHalo, even if  
                  reducing.

                  In any case, these recommendations should not be taken as 
                  gospel. I still have much to learn and figure out. For 
                  example, how best to deal with transparency and different 
                  colour spaces is something I’m likely to be thinking about 
                  for a while."
                

Você pode configurar o método padrão de interpolação na guia de Opções de Ferramentas do diálogo de Preferências.

Cortar

Após a transformação, a imagem pode ser maior. Esta opção vai cortar a imagem transformada, limitando-a ao tamanho da imagem original.

Você pode escolher entre várias formas de corte:

Ajustar

Figura 14.112. Imagem original usada para os exemplos

Imagem original usada para os exemplos

Imagem original

Imagem original usada para os exemplos

Rotação aplicada com Ajustar

Imagem original usada para os exemplos

Rotação aplicada com Ajustar e a tela de pintura aumentada para o tamanho da camada.


Com Ajustar: a camada é aumentada para conter toda a camada rotacionada. A nova borda de camada é visível; a camada toda se torna visível ao se usar o comando ImagemAjustar tela às camadas

Cortar

Figura 14.113. Exemplo com Cortar

Exemplo com Cortar

Cortar


Com Cortar: tudo o que ultrapassa o tamanho da imagem é removido.

Cortar para o resultado

Figura 14.114. Exemplo de Cortar para o resultado

Exemplo de Cortar para o resultado

Rotação de 45° com Cortar para o resultado

Exemplo de Cortar para o resultado

O limite corte está marcado com vermelho. Nenhuma área transparente é incluída.


Se esta opção estiver selecionada, a imagem é cortada de forma que um retângulo que deixe de fora todas as áreas transparentes, que são criadas nos cantos de uma transformação de rotação por exemplo, limite o tamanho da imagem final. Áreas não transparentes, mas que fiquem fora desse limite, são cortadas.

Cortar com proporção

Figura 14.115. Exemplo para cortar com proporção

Exemplo para cortar com proporção

Imagem original

Exemplo para cortar com proporção

Rotação de -22°

Exemplo para cortar com proporção

A imagem rotacionada


Essa opção funciona como a descrita anteriormente, mas certifica-se de que a proporção (largura:altura) do retângulo preservado seja a mesma da camada original.

Show image preview

Se estiver habilitada, que é a configuração padrão, a imagem transformada será visível acima da imagem original, não importa quantas camadas ela tenha. Também há um controle que permite selecionar a opacidade da pré-visualização. (as configurações de opacidade, modo e outras da camada original são ignoradas)

Guias

Esta é uma lista flutuante onde você seleciona o tipo de linhas guia que poderá lhe ajudar na transformação. Todas as guias usam uma moldura para delimitar os limites da imagem além das linhas usadas pelas diferentes opções.

Nehuma guia

Como o nome diz, nenhuma guia será usada.

Linhas centrais

Usa uma linha vertical e uma horizontal que se cruzam no centro da imagem ou camada.

Regra dos terços

Dividem a área de transformação em nove partes iguais adicionando duas linhas horizontais e duas linhas verticais com espaçamento igual. De acordo com essa regra, popular em fotografia, as partes mais interessantes de uma imagem estão localizadas nos pontos de intersecção das linhas.

Regra dos quintos

Como a regra dos terços, mas divide a imagem em cinco linhas de cinco retângulos.

Seções áureas

Também chamada de proporção Áurea. Divide a área sendo transformada em nove partes, usando a fórmula matemática da proporção áurea, que é usada para formas mais agradáveis, tanto ao longo da história da arte como em formas da natureza.

Linhas diagonais

Divide a área a ser transformada usando linhas diagonais.

Número de linhas da grade

Desenha uma grade retangular com um número fixo de linhas verticais e horizontais. O número de linhas é configurado no controle deslizante que aparece quando esta opção é selecionada.

Espaçamento das linhas da grade

Desenha uma grade retangular na área de transformação usando linhas espaçadas umas das outras, conforme configuradas no controle deslizante que aparece.

4.1.2. Transformando vetores

Se por algum motivo você desejar transformar vetores, é possível fazer isso usando-se as ferramentas de transformação.

Figura 14.116. Rotacionando vetores

Rotacionando vetores

Diálogo de vetores

Rotacionando vetores

Modo de operação: Vetor


Após o vetor ser desenhado, vá até o diálogo de vetores, e clique no primeiro campo na frente do nome do vetor, de forma que o ícone de olho apareça e o vetor se torne visível. Senão ele desaparece assim que você seleciona uma ferramenta que não seja a de vetores. Em seguida, escolha uma ferramenta de transformação e na parte superior do diálogo de Opções de ferramentas, clique no ícone de vetores. Isso configurar a ferramenta para atuar no vetor ativo.

Execute a transformação como de costume e confirme quando tiver acabado. Pode ser uma boa ideia configurar as guias para Nenhuma guia para não ter outros elementos interferindo com o vetor.

Quando a transformação tiver terminado, escolha a ferramenta de vetores e clique no vetor alterado para ativa-lo novamente para continuar trabalhando nele.